fbpx

Author - sindilojasbg

Coronavírus – Serra Gaúcha ganha mais autonomia com novo Decreto Estadual

Gestão compartilhada no enfrentamento a Covid-19 reconhece esforços dos municípios, beneficiando a flexibilização do comércio que luta para driblar o momento

 

“Ganhamos uma injeção de ânimo”, comemora o presidente do Sindilojas Regional Bento, Daniel Amadio, ao se referir ao Decreto Estadual Número 55.435, anunciado pelo Governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, nesta terça, 11 de agosto. O texto traz alterações que não atendem 100% dos pleitos do varejo, mas que contemplam parcialmente os pedidos formulados pelas entidades representativas, o que já é um alento para quem passa a ter maior flexibilização do negócio, podendo manter as portas abertas mesmo que com protocolos de segurança em ação.

 

“Agora podemos trabalhar de forma mais unida na cidade, com menos dependência do Estado, que segue atestando a liberação. Tenho certeza que esta conquista é simplesmente o reconhecimento dos esforços de Bento Gonçalves e municípios do entorno, que trabalham incessantemente no enfrentamento ao novo Coronavírus, garantindo um sistema de saúde melhor para todos que precisam”, destaca Amadio.

 

O Decreto mantém a classificação de zoneamento para o distanciamento controlado, assim como reitera a declaração de estado de calamidade público, mas traz algumas mudanças. Uma delas é a maior autonomia aos municípios, permitindo a criação de protocolos regionais, desde que aprovados por dois terços dos integrantes e que contenha um plano estruturado de prevenção e enfrentamento à pandemia. Ambos devem vigorar por meio de Decreto Municipal.

 

ALTERAÇÕES DO DECRETO ESTADUAL Nº 55.435

  1. A região COVID deverá criar protocolo regional para ser utilizado por todos os Municípios da área, mediante a aprovação de 2/3 dos integrantes, contendo ainda plano estruturado de prevenção e enfrentamento à epidemia (modelo técnico padrão).
  2. Os protocolos e o plano deverão vigorar no Município por meio de decreto, cujo conteúdo será formulado por equipe técnica capacitada de âmbito regional.
  3. Remessa do plano ao COE, que não tem previsão de recebimento, veto, alteração ou qualquer outra medida em relação ao conteúdo definido pelas regiões.
  4. Estado manterá sua rotina de bandeiras semanais e a região pode absorver a indicação da coloração ou adotar seus protocolos próprios com bandeira anterior a divulgada pelo Governo. Ex.: Estado divulga bandeira vermelha e região delibera usar seus protocolos próprios para bandeira laranja, que não podem ser mais flexíveis do que a laranja do Estado.
  5. A região pode adotar critérios mais restritivos em áreas específicas por decisão previamente estabelecida no plano/protocolo, caso constatada a necessidade.
  6. Os municípios podem seguir o protocolo das bandeiras do Estado ou os protocolos das bandeiras da regional Covid. Se o Município entender melhor, pode ser ainda mais restritivo que o Estado e a região.

Sindilojas alerta sobre mudanças nos protocolos da Bandeira Vermelha

Caso a cidade tenha nova regressão e deixe a Bandeira Laranja, comércio e restaurantes deverão obedecer Decreto 55.414 do Governo do Estado

 

Bento Gonçalves e região ainda comemoram o retorno para a Bandeira Laranja, o que está permitindo uma semana de Dia dos Pais com portas abertas e uma expectativa de boas vendas. Entretanto, a cada semana a realidade pode mudar, acompanhando os dados epidemiológicos e obedecendo o Distanciamento Controlado do Governo do Estado do Rio Grande do Sul. Preocupado e muito atento às deliberações do Executivo Estadual, o Sindilojas Regional Bento alerta seus associados para o Decreto 55.414, de 3 de agosto de 2020, que traz mudanças nos protocolos da Bandeira Vermelha.

 

“Voltar para a Bandeira Vermelha está fora dos nossos planos, mas precisamos alertar nossos associados, caso isso volte a acontecer, pois algumas mudanças nos protocolos foram feitos e terão que ser seguidos. Acreditamos muito na permanência da Bandeira Laranja e seguimos disciplinados no cumprimento de todos os cuidados necessários”, destaca o presidente do Sindilojas Regional Bento, Daniel Amadio.

 

As mudanças, que envolvem o comércio varejista não essencial, localizado em ruas, centros comerciais e shoppings, e o funcionamento de restaurantes, começam a valer hoje, 5 de agosto, já devendo ser cumpridas pelas regiões que se encontram na Bandeira Vermelha, não sendo o caso da Serra Gaúcha. As alterações foram debatidas e validadas com a Federação das Associações de Municípios do Rio Grande do Sul (Famurs) e com as 27 associações regionais.

 

PROTOCOLOS DE BANDEIRA VERMELHA

Comércio atacadista não essencial

  • Poderão atender com 25% dos trabalhadores e o atendimento ao público será restrito de quarta-feira a sábado, das 10h às 16h, respeitando o teto de ocupação (número máximo de pessoas conforme área do estabelecimento). As modalidades de comércio eletrônico, tele entrega e drive- thru continuam sendo permitidos todos os dias da semana.

Todos os estabelecimentos deverão respeitar os protocolos obrigatórios e a Portaria SES nº 376.

 

Comércio varejista não essencial de rua

  • Poderão atender com 25% dos trabalhadores e o atendimento ao público será restrito de quarta-feira a sábado, das 10h às 16h, respeitando o teto de ocupação (número máximo de pessoas conforme área do estabelecimento). As modalidades de comércio eletrônico, tele entrega, pegue e leve e drive thru continuam sendo permitidos todos os dias da semana.

Todos os estabelecimentos deverão respeitar os protocolos obrigatórios e a Portaria SES nº 376.

 

Comércio varejista não essencial de centros comerciais e shopping centers

  • Poderão atender com 25% dos trabalhadores e o atendimento ao público será restrito de quarta-feira a sábado, das 10h às 16h, respeitando o teto de ocupação (número máximo de pessoas conforme área do estabelecimento). As modalidades de comércio eletrônico, tele entrega e drive thru continuam sendo permitidas todos os dias da semana.

Todos os estabelecimentos deverão respeitar os protocolos obrigatórios e a Portaria SES nº 303 e 406.

 

Restaurantes

  • Permitido atender ao público presencial restrito de segunda a sexta-feira, das 10h às 16h, respeitando o teto de ocupação de 50% de trabalhadores e 25% de lotação, sendo permitido também a tele entrega, pegue e leve e drive thru todos os dias da semana.

Todos os estabelecimentos deverão respeitar os protocolos obrigatórios e a Portaria SES nº 319.

 

LINKS PARA INFORMAÇÃO

https://coronavirus-admin.rs.gov.br/upload/arquivos/202005/21100242-portaria-319.pdf

https://coronavirus.rs.gov.br/upload/arquivos/202006/03133804-portaria-ses-n-376.pdf

https://saude.rs.gov.br/upload/arquivos/202007/21165552-06-portaria-303-atualizada-ate-a-portaria406.pdf

https://coronavirus.rs.gov.br/upload/arquivos/202006/08144902-portaria-ses-n-406.pdf

Bento adota plataforma para monitorar Covid-19

Empresas podem se cadastrar gratuitamente para dispor de ferramenta que mostra por onde as pessoas passam nos 15 dias anteriores

 

Com o anúncio da Bandeira Intermediária para Bento Gonçalves, permitindo que o comércio abra as portas num modelo entre as Bandeiras Vermelha e Laranja, a Smart Tracking se torna ainda mais importante como aliada ao monitoramento da Covid-19 na cidade. A ferramenta foi lançada pela Prefeitura, juntamente com o Observatório Turístico, com o propósito de auxiliar na contenção da propagação do vírus, ainda no período de incubação da doença. O Sindilojas Regional Bento apoia a iniciativa e trabalha na conscientização de seus associados para que as empresas se cadastrem na plataforma.

 

“Estamos atuando em diversas frentes e vamos seguir ativos. Faremos tudo o que estiver ao nosso alcance no enfrentamento ao Coronavírus e esta medida da prefeitura é mais uma ação que demonstra como Bento Gonçalves é diferenciada e vem lutando com toda sua força para combater este vírus que, além de subtrair vidas vem desafiando empresas”, destaca o presidente do Sindilojas Regional Bento, Daniel Amadio.

 

Simples e sem custo, o Smart Tracking pode ser utilizado por todo estabelecimento comercial, ajudando a rastrear o vírus, combatendo-o ainda no período de incubação. O cadastro deve ser feito pelo link https://bento.tur.br/qrcode/. Com a ferramenta é possível rastrear as pessoas, sem violar a liberdade individual. O sistema é adequado à Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD), não identificando os usuários. O acesso ao bando de dados gerado é exclusivo às autoridades da saúde.

 

O uso não é obrigatório, mas o Sindilojas está recomendando a todos os associados que façam o cadastro. Da mesma forma, a entidade também tem ocupado seus canais para conscientizar a comunidade a fazer o check-in. O mapeamento leva em conta estabelecimentos comerciais, de prestação de serviços, restaurantes, ônibus e supermercados.

 

A informação serve para alertar as autoridades sanitárias e os próprios donos dos empreendimentos sobre a ocorrência de pessoa contaminada, medida considerada importante para tomada de ações de prevenção. Outras pessoas que tenham passado pelos mesmos ambientes no dia e horário do paciente testado positivo também serão avisadas.

 

Como funciona

1 – O estabelecimento comercial realiza o cadastro na plataforma, imprime o QR Code gerado, deixando-o à vista do cliente. Link: https://bento.tur.br/qrcode/

2 – O cliente lê o QR Code acionando a câmera do smartphone, realiza o primeiro cadastro e depois apenas faz o check-in nos estabelecimentos por onde passar.

3 – Autoridades de Saúde realizam o rastreio de locais e pessoas com quem os pacientes testados positivo para Covid-19 tiveram contato até os 15 dias anteriores ao diagnóstico da doença.

4 – Estabelecimentos e usuários cadastrados recebem o aviso por e-mail ou SMS caso tenham sido identificados no rastreio.

“Fechar não é a solução”

Presidente do Sindilojas Regional Bento, Daniel Amadio, segue buscando formas de flexibilização para abertura do comércio, que não tem mais como manter situação

 

“Não adianta obrigar o comércio a fechar as portas se nas ruas as pessoas andam sem máscara, se nos finais de semana grupos se encontram sem os cuidados necessários, se famílias inteiras saem de casa. O comércio não é foco de transmissão do vírus. Nossas lojas adotaram todas as medidas estabelecidas nos protocolos, indo além do exigido, tornando-se locais plenamente seguros. Agora, precisamos da conscientização das pessoas e nós, do comércio, também estamos atuando neste sentido, informando e pedindo que cada um faça a sua parte”, ressalta Amadio, lamentando a decisão do Ministério Público que suspendeu o Decreto Municipal 10.613, emitido pelo prefeito Guilherme Pasin no dia 31 de julho de 2020.

 

O documento, respaldado na proposição de uma cogestão do Distanciamento Controlado pela Associação dos Municípios da Encosta Superior do Nordeste (Amesne), flexibilizava a abertura do comércio de bens, serviços e turismo, além da educação, criando a ‘Bandeira Intermediária’, entre a Vermelha e a Laranja, com restrições sim, mas permitindo a sobrevivência das empresas e seus empregos. “A pandemia pegou o mundo de surpresa. Nenhum país adotou medidas com 100% de certeza de eficácia. E aqui, no Brasil, o vírus chegou mais tarde, levando a tomar decisões que hoje vemos como precipitadas, ou seja, fechamos muito cedo, colocando em risco a vida de milhares de empresas que agora não têm mais fôlego para se manter”, salienta Amadio.

 

Segundo o dirigente, que também vem atuando fortemente junto à Fecomércio-RS, onde ocupa o cargo de vice-presidente, fechar agora é alimentar um problema ainda maior, sem precedentes. “É muito tempo de portas fechadas e mesmo assim vemos o avanço da pandemia. Agora, precisamos trabalhar, fazer a economia girar, recuperar o tempo perdido para garantir o sustento de nossas famílias. Precisamos manter a vida e a economia”. O Sindilojas está nas ruas com a campanha #OComércioQuerTrabalhar, exposta em cartazes nas vitrines das lojas.

 

Com a expectativa de que a juíza da comarca de Bento Gonçalves, Carina Paula Chini Falcão, reavalie sua decisão, levando em consideração todos os investimentos feitos pelo Poder Público e iniciativa privada no enfrentamento do Coronavírus, o Sindilojas seguirá atuando em diversas frentes, seja em sua base territorial que compreende 11 municípios (Barão, Bento Gonçalves, Boa Vista do Sul, Carlos Barbosa, Coronel Pilar, Garibaldi, Monte Belo do Sul, Pinto Bandeira, Santa Tereza, São Pedro da Serra e São Valentim do Sul), seja  nível estadual junto a Fecomércio-RS.

Bento adere a #OComércioQuerTrabalhar

Sindilojas Regional Bento abraça campanha da Fecomércio-RS

 

Certo de que fechar as portas do comércio não é a solução para combater o Coronavírus, o Sindilojas Regional Bento se lança em mais uma ação, além de tantas que já vem realizando no enfrentamento desta pandemia global. Como braço da Fecomércio-RS numa base territorial que abrange 11 municípios (Barão, Bento Gonçalves, Boa Vista do Sul, Carlos Barbosa, Coronel Pilar, Garibaldi, Monte Belo do Sul, Pinto Bandeira, Santa Tereza, São Pedro da Serra e São Valentim do Sul), a entidade coloca nas ruas a campanha ‘O Comércio quer Trabalhar’.

 

Cartazes com a identidade da campanha estão sendo distribuídos aos associados, a fim de chamar a atenção e sensibilizar sociedade e governo, mostrando que o fechamento das atividades comerciais não resolve o problema da pandemia, pelo contrário, expõe empresas e famílias, que sem renda não têm condições de sobreviver. “Estamos fazendo a nossa parte e, por isso, não somos foco de transmissão. Estamos seguindo todos os protocolos e dependemos da venda para seguir gerando emprego e renda, além de pagar impostos”, destaca o presidente do Sindilojas Regional Bento, Daniel Amadio.

 

Além de estar exposta na porta e vitrine dos estabelecimentos comerciais, a campanha também circula pelas redes sociais do Sindicato com a #OComércioQuerTrabalhar e, por meio do whatsApp, entre os associados, criando uma corrente pela flexibilização do comércio.

 

Outras ações e conquistas

Desde que Bento Gonçalves e entorno vem enfrentando a Covid-19, o Sindilojas Regional Bento não tem medido esforços no sentido de criar ferramentas capazes de ajudar os associados a enfrentar o problema que toma conta do mundo todo. Com a ação ‘Bento é Super’, a entidade mobilizou mais de 100 empresas que são pontos de coleta para a arrecadação de alimentos não perecíveis e produtos de limpeza (água sanitária, sabão e sabonete), que estão sendo recolhidos pela Secretaria de Esportes e Desenvolvimento Social (Sedes) e distribuídos entre famílias que necessitam deste apoio. A demanda triplicou desde que o vírus chegou na cidade, passando de mil para 3 mil cestas básicas por mês.

 

Além disso, o Sindilojas também desenvolveu três E-Books focados em conhecimento para auxiliar no incremento das vendas. A ferramenta está sendo disponibilizada gratuitamente a todas as empresas que integram o quadro social. Junto à Federação, o Sindicato também comemora a conquista da ação judicial que assegura às empresas a manutenção dos serviços de telefonia e internet até 15 de outubro. Ou seja, as companhias não podem suspender os serviços mesmo que haja inadimplência. Também não podem cobrar multa e jutos sobre as faturas não pagas. Outra cobrança que está isenta em razão da pandemia é a de direitos autorais junto ao Escritório Central de Arrecadação e Distribuição (ECAD).

 

A possibilidade de operar com tele entrega mesmo em Bandeira Vermelha é mais uma das conquistas da Federação comemorada pelo Sindilojas, que também atuou na negociação com o SEC-BG, na redução do bônus por feriado trabalhado em 10%, em relação a Corpus Christi e Santo Antônio. Outro acordo firmado entre os sindicatos e que trouxe benefício aos representados ao Sindilojas é o prazo mais elástico para a compensação do banco de horas, assim como a flexibilidade para a concessão de férias devido aos períodos de fechamento das lojas.

Procon de Bento passa a atender sem fechar ao meio-dia

Mudança é resultado de ação conjunta com o Conselho Municipal de Defesa do Consumidor

 

O Procon de Bento Gonçalves passará a atender em novo horário na próxima segunda-feira, 3 de agosto. Os consumidores poderão procurar o órgão das 9h às 16h, sem fechar ao meio-dia. A mudança vem atender uma antiga aspiração tanto do Procon quanto do Conselho Municipal de Defesa do Consumidor (Condecon), presidido por Daniel Amadio.

 

“A mudança parece simples, mas dependia de adequação de equipe com ajustes necessários a fim de poder implantar o novo horário. A flexibilização do horário certamente vai facilitar o atendimento dos consumidores”, destaca Amadio, que também preside o Sindilojas Regional Bento. Como vice-presidente da Fecomércio-RS e coordenador da Comissão Estadual de Combate à Informalidade, Daniel Amadio também destaca a importância do Procon no combate à pirataria justamente por exigir nota fiscal no atendimento às reclamações.

 

Diante da pandemia do Coronavírus, o Procon BG está atendendo mediante agendamento, que pode ser realizado pelos telefones (54) 3055.8544 3055.8547, este também pelo whats. O Procon BG está localizado na Rua Marechal Deodoro da Fonseca, 70, junto ao prédio da Prefeitura Municipal. O expediente interno é das 8h às 17h. Responsável pela coordenação e execução da política estadual de proteção, amparo e defesa do consumidor, o Procon atua na orientação, recebimento, análise e encaminhamento de reclamações, consultas e denúncias de consumidores, fiscaliza previamente os direitos dos consumidores e aplica as sanções, quando for o caso. O órgão também orienta os consumidores em suas reclamações, informa sobre seus direitos e fiscaliza as relações de consumo com estabelecimentos comerciais, indústrias ou prestadores de serviço.

 

Associados Sindilojas: Serviços de telefonia e internet não podem ser suspensos

Ação judicial foi movida e conquistada pela Fecomércio-RS para o período de 19 de março a 15 de outubro, beneficiando associados

 

Todas as empresas associadas ao Sindilojas estão cobertas por esta conquista pleiteada pela Fecomércio-RS e que beneficia todos os seus representados. Movida pela Federação, a ação judicial foi lavrada, em primeira instância, no dia 15 de julho e impede a interrupção dos serviços de telefonia e internet, além do restabelecimento dos mesmos, de todas as empresas que tiveram suspensão por inadimplência tendo fixado como marco inicial o dia 19 de março. O período, compreendido até 15 de outubro, também impede que as companhias cobrem multa e juros sobre as faturas não pagas. A decisão é da 16ª Vara Cível do Foro Central da Comarca de Porto Alegre – Tribunal de Justiça do Estado do Rio Grande do Sul.

 

O presidente do Sindilojas Regional Bento, Daniel Amadio, entende que o aceite ao pedido de tutela provisória de urgência nada mais é do que uma justa resposta ao pedido feito pela Federação. “Com a obrigatoriedade do fechamento dos estabelecimentos, limitando parte deles a atividades de comercialização via internet ou por telefone, a sobrevivência depende do uso destas tecnologias. É um direito de interesse coletivo. E, certamente, exige esta compreensão”, destaca Amadio.

 

A ação civil coletiva número 5040595-93.2020.8.21.0001/RS contra a Vivo, Tim, Oi e Claro, também poderá ser postergada, indo além de 15 de outubro. Isso vai depender da situação gerada por esta pandemia global.

E-Book dá dicas de como vender mais com as portas fechadas

Este é o terceiro volume que a entidade cria e disponibiliza gratuitamente para seus associados com foco em vendas

Delivery, Take Away, Drive Thru, APPs e Marketing. Estes são os cinco pilares do E-Book Volume 3, lançado pelo Sindilojas Regional Bento, com o propósito de auxiliar os associados no enfrentamento desta pandemia. ‘Como Vender em Tempos de Covif-19’ traz as vantagens e desvantagens de cada opção, sua funcionalidade e dinâmica de uma forma simples e objetiva.

A Covid-19 é global e atingiu todos os setores. Não é uma exclusividade do varejo. Seu enfrentamento depende da atitude todos. E a informação e conexão é essencial para todo negócio. O Sindilojas Regional Bento vem apostado neste tipo de ação, apoiando a sobrevivência e retomada dos negócios. “Queremos, assim, aproximar pessoas, conhecimento e informações de forma prática, rápida e gratuita”, destaca o presidente Daniel Amadio.

O primeiro E-Book na venda pelo WhatsApp e o segundo na instalação do WhatsApp Business. Agora, o objetivo é gerar mudança de comportamento nas vendas, independente da cor da bandeira. Ou seja, o mundo mudou e a forma de vender também precisa mudar. “Não vamos deixar de operar da forma tradicional, mas precisamos aproveitar o momento para nos reinventar. Assim, quando tudo passar, sairemos muito mais fortes e preparados para o novo consumidor que vem por aí”, ressalta Amadio.

ECAD isenta cobrança de direitos autorais em razão da pandemia

Pedido foi feito pela Fecomércio-RS e será concedido aos setores do comércio, serviços de hotelaria, hospedagem e turismo durante estado de calamidade pública

 

O Sindilojas Regional Bento, braço da Fecomércio-RS em Bento Gonçalves e outros 10 municípios da região, comemora mais uma conquista pleiteada que beneficia os setores do comércio, serviços de hotelaria, hospedagem e turismo. Desta vez, foi a isenção da cobrança dos direitos autorais durante a vigência do estado de calamidade pública gerado pela pandemia. O Escritório Central de Arrecadação e Distribuição (ECAD) aceitou o pedido feito ainda no dia 22 de junho, isentando os estabelecimentos que suspenderam suas atividades até o momento da retomada.

 

O pedido foi presencialmente feito pelo vice-presidente da Fecomércio-RS, Manuel Suárez, defendendo que neste período de pandemia muitas empresas têm dificuldade em manter seus negócios. Sendo assim, a adoção de medidas que reduzam os custos é fundamental. Outro ponto discutido foi a fórmula de cálculo da cobrança dos direitos autorais em hotéis.  Atualmente, o valor cobrado é considerado elevado pelos estabelecimentos deste segmento, motivo pelo qual a inadimplência no pagamento é consideravelmente alta.

 

Como sugestão, a Fecomércio-RS e o Sindihotel solicitaram alteração da fórmula no Fator Preço. Com essa mudança, o valor deixaria de ser fixo e variaria conforme o valor da diária (com definições de limite mínimo e máximo). Desse modo, espera-se que o setor hoteleiro passe a despender menos com direitos autorais, sem, no entanto, prejudicar a arrecadação e o funcionamento do órgão, considerando que a redução do Fator Preço poderá ser contrabalanceada pela diminuição da inadimplência. As sugestões apresentadas serão analisadas pelo ECAD, que irá verificar a possibilidade de sua implementação.